Arrow

Últimas Notícias

Após incêndio em SC, Previsão é de que fumaça chegue à São Paulo.


A nuvem de gás formada após um incêndio em um galpão de fertilizante em São Francisco do Sul, Santa Catarina, pode chegar ao Estado de São Paulo. Segundo o meteorologista Marcelo Martins, da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri/Ciram), isso vai depender da direção e intensidade dos ventos. "Se chegar, aparecerá na forma de uma névoa, bastante dissipada", afirmou. Mas o mais provável é que o gás alcance o interior de Santa Catarina, em cidades da região de Joinville e do Vale do Itajaí. O governo de Santa Catarina decretou situação de emergência em São Francisco do Sul. O local do incêndio armazena 10 mil toneladas de nitrato de amônia, cuja oxidação produz uma fumaça densa, que se respirada causa irritação na pele, olhos e vias respiratórias. 

A Defesa Civil estabeleceu um perímetro de segurança de 800 metros de raio a partir do incêndio. Mais de 200 bombeiros trabalhavam no combate ao incêndio até a noite desta quarta-feira, 25. O nitrato de amônia não é inflamável, mas oxidante. Por isso, o incêndio não produz chamas. Foram removidos contêineres ao redor, para facilitar o acesso de grandes equipamentos de combate, e o telhado do galpão. O objetivo é resfriar o produto. "O nitrato de amônia, por si só, é considerado estável. Caso aquecido, pode tornar-se explosivo", explicou o gerente de produtos perigosos da Defesa Civil, major Geovane Matiuzzi, dos bombeiros.

O incêndio começou entre 22h e 23h da noite de terça-feira, 24. O soldado Felipe Rosa, da comunicação social do Corpo de Bombeiros, afirmou que pelo menos 70 pessoas tiveram de ser atendidas por respirar a fumaça, e liberadas em seguida.

O major Matiuzzi disse que os efeitos do gás formado no processo de oxidação são parecidos com os do gás lacrimogêneo, por isso não são considerados letais quando inalados. O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Marcos Oliveira, afirmou que o perigo é com a inalação direta e em grande quantidade. "Para evitar contaminação, as pessoas foram retiradas logo no início."

Nas primeiras horas do incêndio, a população assustada começou a deixar a cidade, causando trânsito nas vias internas e na BR-280, que liga São Francisco do Sul a Joinville. O acesso ao município foi bloqueado. A prefeitura recomenda que quem já está fora, não tente voltar enquanto a situação não for resolvida.

A Defesa Civil removeu as famílias dos bairros mais atingidos: Paulas, Iperoba, Reta e Sandra Regina. Cerca de 400 pessoas estão em um abrigo instalado em uma escola estadual que fica na entrada da cidade.
As aulas nas unidades da rede estadual em São Francisco do Sul e nas cidades vizinhas de Garuva e Itapoá foram suspensas até sexta-feira, 27. Os bombeiros ainda atuavam no local, sem previsão de término da operação, até o fim da noite de quarta-feira, 25.

Efeitos. A fumaça não é tóxica, mas pode ter efeitos que provocam irritação das vias respiratórias. Essa é a análise do professor Renato Sanchez Freire, do Departamento de Química Fundamental da Universidade de São Paulo (USP). Segundo ele, o único efeito imediato para o morador da região seria uma possível irritação das vias respiratórias, provocada pelo elevado calor da fumaça, sem nenhuma consequência tóxica. "Respirar a fumaça provocada pela explosão não é muito diferente do que respirar o gás provocado pelo escapamento de um caminhão."

Fonte: Estadão

Compartilhe!

Leia outras notícias

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Acompanhe por e-mail

Connect-se!

Páginas Visitadas